Advertisement
O Instituto Claro acaba de lançar seu Relatório Social 2019 em um novo formato. A publicação conta com dez depoimentos de beneficiados pelos diversos programas de educação e projetos de cidadania desenvolvidos ou apoiados pela entidade. São histórias de transformação por meio de ações do Instituto Claro que impactaram profundamente a vida dessas pessoas.

É o caso da estudante de direito de São Luís (MA), Brenda Abreu, que criou um aplicativo com o objetivo de informar as mulheres sobre a segurança dos locais que frequentam por meio do Campus Mobile. O concurso, que incentiva jovens universitários a desenvolverem soluções que resolvam problemas da sociedade com inovação e criatividade, recebeu no ano passado 685 inscrições de 994 jovens de 25 estados do país, com um aumento de 30% na participação feminina em relação a 2018.

(Reprodução/Internet)
O relatório traz também o depoimento de Joelma Silveira, coordenadora pedagógica de Mogi das Cruzes (SP), participante do Educonex, que capacita profissionais da educação (coordenadores municipais e pedagógicos e professores que trabalham nas redes municipais de ensino de todo o Brasil) para o uso das tecnologias digitais e inovação na sala de aula. O programa beneficiou 456 professores em 215 escolas do país, impactando indiretamente mais de 12 mil alunos.

“Essa nova edição do relatório mostra a importância dos projetos sociais promovidos pelo Instituto Claro. São histórias que nos emocionaram e inspiraram ao longo de 2019, contadas pelos próprios beneficiados”, afirma a diretora de responsabilidade social e comunicação da Claro e vice-presidente de projetos do Instituto Claro, Daniely Gomiero.

Advertisement
O relatório traz também os indicadores dos projetos realizados durante o ano, como o Trajetória de Sucesso Escolar, realizado em conjunto com o UNICEF, que desenvolve recursos educacionais para adolescentes em situação de atraso escolar. A ideia é usar tecnologias móveis para ajudar a desenvolver metodologias de ensino, recomendações e análises, além de material impresso e digital. Em 2019, o projeto atingiu 1.920 municípios e 10 centros urbanos.

O Dupla Escola, projeto que oferece Ensino Médio integrado ao curso técnico-profissionalizante em telecomunicações na Zona Oeste do Rio de Janeiro, formou 109 alunos em 2019. Já o Conexão Voluntária, uma plataforma on-line que conecta as habilidades dos colaboradores Claro com instituições que precisam de ajuda, mobilizou 2.784 colaboradores da Claro, que geraram benefícios para 110 instituições em 33 cidades.

Entre os projetos em prol do meio ambiente, o relatório traz alguns destaques. O Energia da Claro finalizou o ano com 35 usinas e 300.000 painéis solares instalados. Lançado em 2017, prevê o uso de fontes renováveis de energia e ações de proteção ao meio ambiente em todas as operações e instalações da empresa no Brasil. Até 2021, o programa vai gerar 80% da energia consumida pela empresa, mais de 600.000 MWh/ano.

O Claro Recicla, que promove a logística reversa e a destinação correta do lixo eletrônico como baterias, celulares, tablets e acessórios, recolheu 10.055 itens e enviou 956 quilos de lixo eletrônico para reciclagem. O Bike Claro, uma iniciativa que permite que os técnicos façam atendimentos residenciais de bicicleta elétrica com o objetivo de reduzir as emissões em CO2, diminuiu em 79% os custos do deslocamento em veículos, com 77 carros a menos em13 cidades de quatro estados do Brasil.
Com o incentivo à fatura fiscal, houve diminuição de 67,4% das emissões de boletos impressos só em 2019. E, no ano passado, 7.741 tracajás foram soltos pelo projeto Pé- de -Pincha, que visa a preservação destes quelônios e a conscientização ambienta por meio da capacitação para agentes ambientais em comunidades ribeirinhas, com a realização da Universidade Federal do Amazonas.
Advertisement

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui